Notícias

Maringá Futebol Clube estreia com derrota fora de casa na Taça Dirceu Kruger

11/03/2019 10:19

 Com arbitragem polêmica, o Tricolor foi superado pelo Foz do Iguaçu por 1 a 0 no Estádio do ABC

 

O Maringá Futebol Clube não iniciou o segundo turno do Campeonato Paranaense (Taça Dirceu Kruger) como imaginava e foi superado pelo Foz do Iguaçu jogando no Estádio ABC no último domingo (10). O time da casa venceu por 1 a 0 em um pênalti polêmico marcado pelo árbitro Robson Babinski e convertido pelo atacante Mateus Guerreiro.

O jogo teve a superioridade do Tricolor Maringaense, no entanto as inúmeras chances criadas não se converteram em gols. No primeiro tempo o Maringá FC chegou com perigo em três oportunidades no gol de Felipe. A primeira com o atacante Bravo pela direita em chute cruzado, depois em um cabeceio por cima do gol do artilheiro do Tricolor, Tiago Orobó e por fim, novamente o atacante bravo limpou o marcador e bateu forte para a defesa do goleiro adversário.

O gol dos adversários saiu aos 37 minutos da primeira etapa. Após o contato do atacante João Guilherme com o zagueiro Marcelo Xavier, o jogador do Foz pisa na bola e o árbitro assinala pênalti que foi bem convertido pelo camisa 9 Mateus.

No segundo tempo a superioridade Tricolor continuou e as polêmicas com a arbitragem também. Everton acabou sendo expulso aos 25 minutos após levar o segundo cartão amarelo em uma dividida com o jogador do Foz. Mesmo com um a menos o Tricolor chegou com perigo após boa jogada do meio-campista Geovane pela esquerda, que bateu forte para a defesa de Felipe e no rebote o atacante Welton Paraguá, bateu em cima do goleiro.

As chances continuaram sendo criadas e o time ainda desperdiçou boas oportunidades com Bravo, Dandan e Orobó. O Foz teve uma boa chance de matar o jogo, aos 40 minutos, mas o atacante adversário, cara a cara com Victor Golas, bateu para fora. Antes do apito final dois lances ainda marcara a partida. O primeiro foi o árbitro autorizar a entrada de um jogador do Foz que havia saído para receber atendimento médico durante o contra-ataque Tricolor do mesmo lado da jogada. A atitude novamente causou grande reclamação, já que o jogador estava fora de jogo e entrou para roubar a bola do ataque do MFC.

O outro lance que poderia ser o empate do MFC aconteceu aos 44 da segunda etapa. Após cruzamento de Willian Machado, Tiago Orobo, sozinho, acabou colocando a bola para fora. Segundo o técnico do MFC, Antônio Picoli, apesar das polêmicas com a arbitragem, faltou competência para o time fazer o gol.  

“Eu não conheço esse árbitro e o futebol é interpretativo, pode ser que eu interprete o lance de um jeito e você de outro, mas o que não pode é ele ir contra as regras do jogo, autorizando a entrada de um atleta adversário do lado de um ataque nosso e isso que eu fui questioná-lo. Os outros lances temos que rever, mas não podemos colocar a culpa da derrota no árbitro. Se não tivéssemos criado oportunidades era uma coisa, mas criamos quatro, cinco, seis chances de gols e não fizemos, não tivemos competência para marcar e isso não pode”, disse o treinador em entrevista coletiva após o jogo.

Agora o MFC terá uma semana de trabalho visando a partida diante do Athletico Paranaense, no próximo domingo (17), às 16h00 no Estádio Regional Willie Davids. Os ingressos já estão disponíveis para compra no site www.ingressonacional.com.br.

Por assessoria de imprensa.

Voltar